Shuai Jiao, a técnica chinesa que inspirou o Jiu Jitsu, o Judô e o Aikido

set07_04 (2)

Ana Calazans

O Shuai Jiao é o estilo estruturado de combate mais antigo da China, e provavelmente do mundo, e o ancestral de técnicas como o Judô e o Jiu Jitsu japoneses. Com mais de quatro mil anos, alguns estudiosos calculam cinco mil, é um sistema de luta livre, ou wrestling, integrado ao kung fu, que se define pela utilização de técnicas de quedas, projeções, agarramentos e imobilizações e torções (Chin Na), podendo também utilizar socos e chutes, a depender das particularidades e tradições regionais.

As regras de competição só foram fixadas no final do século XIX e o termo Shuai Jiao foi cunhado apenas em 1928, para dar unidade aos vários estilos. É um sistema identificado com o Norte da China e que empresta suas técnicas para diversos estilos de kung fu e notadamente para o Sanshou (Boxe Chinês) e o Sanda (Sanshou de competição).

SONY DSC
Sistema é integrado ao kung fu e se define pela utilização de técnicas como o Chin Na

Shuai significa derrubar, arremessar ao chão, ou varrer, e Jiao, chifre. O sentido da expressão pode ser resumido como “Arremesso com chifres” ou “Chifres que derrubam”. O propósito dos movimentos é derrubar o oponente da forma mais rápida possível. Por isso a ênfase é nas técnicas de queda, que, embora sejam mais eficientes, são mais difíceis. Existem dois tipos de competição, a tradicional e o combate. Na primeira é permitido apenas a utilização de projeções; a segunda pode ser travada com chutes e socos.

O foco técnico da luta está na estabilidade. O oponente tem que tentar desequilibrar o adversário tirando o seu centro de gravidade com o trabalho de pernas (chutes e dinâmica de distância e deslocamento) e as técnicas de mão (agarramentos, puxões, empurrões, golpes de punho etc.). Assim, o lutador tem que associar seu eixo a este trabalho de coordenação – o mesmo princípio utilizado nos vários estilos de kung fu: a sincronia e harmonização entre os movimentos dos pés, pernas, tronco, braços e mãos. Há um ditado Chinês sobre o Shuai Jiao que diz: “Um oponente caído é um oponente morto”.

20130607-091345
Lutadores se enfrentam em uma competição de wrestling mongol, derivado do ‘Boke’

A grade diferença do Shuai Jiao do wrestling tradicional é que sua meta é jogar o oponente no chão; a regra básica é a de que o único ponto de contato do praticante com o chão deve ser seus pés, dessa forma, o objetivo é alcançado quando o adversário cai, não havendo a necessidade de lutar com ele no solo.

Uma das origens lendárias credita sua criação ao famoso “Imperador Amarelo”, Huang Di, ou Ti, figura mítica ligada também a um dos mais importantes tratados da Medicina Tradicional Chinesa, o ‘Clássico do Imperador Amarelo’ (Nei Jing), e ao taoísmo. O Shuai Jiao teria sido derivado do Chiao Ti, que ao longo dos anos foi se aperfeiçoando e ganhando contornos regionais. O sistema tem por base o wrestling mongol chamado de Boke ou Bokh.

A lenda conta que os exércitos de Huang Ti e de seu rival Zhi You estavam acampados nas margens do Yang Tzé. Os guerreiros de Zhi You utilizavam elmos com chifres nas batalhas, que eram usados como armas. Para se defender, Huang Ti ensinou a seus homens técnicas de esquiva e desarmes. O exército do Imperador Amarelo venceu a batalha e unificou a China. A partir de então, a data passou a ser celebrada com os vencedores simulando um combate em que um oponente portava o capacete com os chifres enquanto o outro tentava derrubá-lo. A esta simulação foi dado o nome de Jiao, ou Chiao, Ti Xi.

Shuaijiao_gravure_wang_IMG_3077_r1
Gravura mostra treino de Shuai Jiao. O estilo teve várias denominações em sua evolução

Séculos depois, durante a Dinastia Zhou (1046-256 a.C.), os livros clássicos já registram o sistema de luta chamado Jiaoli ou Jiao Ti, que incluía ataques, projeções, manipulação de articulações e ataques a pontos de pressão e que é a base do atual Shuai Jiao.Na dinastia Tang (618-907) os termos Shou Bo e Xiang Bo se popularizam e o sistema já inclui técnicas de perna e punhos.

Estilos

Os estilos mais conhecidos de Shuai Jiao são o Mongol, o Pequim, o Tientsin e o BaoDing, os três últimos, por suas semelhanças e proximidade geográfica, são chamados de estilos de Hebei, região onde também se desenvolveram as variações de Nanquim e Shangai.

Shuaijiao_masters_tianjin_1930 (1)
Fotografia datada de 1930 mostra mestres de Shuai Jiao do agressivo estilo Tianjin

Estilo Pequim – Escola de movimentos curtos que enfatiza o contato, a defesa contra as mãos do adversário e o uso de chutes para desequilibrar o oponente. Com forte influência do estilo mongol, o uniforme é bem justo para dificultar os agarramentos.

Estilo Tientsin – Mais agressivo que o estilo de Pequim utiliza fintas como chutes e braços soltos para propiciar um contra-ataque.

Estilo BaoDing – É o mais popular. Focado na concentração, no apuro técnico, rapidez e potência dos golpes, tem movimentos mais amplos.   Também chamado de Kuai Jiao ou wrestling rápido.

Estilo Shanxi –  Estilo que se distingue pela utilização de técnicas de captura de pernas.

cc
Mapas mostram as províncias de Hebei, Shangxhi e da Mongólia, sedes dos principais estilos da luta

Estilo Mongol – Derivado do Boke da Mongólia é uma técnica que dá ênfase à força e as projeções.

Estilo Xinjiang – Oriundo do wrestling turco, utiliza muito as técnicas de cintura e agarramentos.

A Influência no Japão

Entre os séculos XV e XVII (Dinastia Ming), houve uma grande difusão do Shuai Jiao. Na Rússia deu origem ao Sambo. No Japão, foi a principal influência para a criação do Jiu Jitsu e posteriormente do Sumô, Judô e Aikido. Chen Yuan-Ping, um exímio lutador de Shuai Jiao que dominava habilidades de Chin Na (torções, quebramentos e pontos de pressão) e projeções é tido como o maior introdutor das técnicas “suaves” no país. Ele chegou ao Japão no século XVII, período de sistematização do Jiu Jitsu, como exilado político. Naturalizou-se e mudou seu nome para Chin Gempin (ou Genpin) e foi mestre de Takenouchi, o fundador da primeira escola de Jiu Jitsu do Japão em 1532.

Enquanto esteve no Templo Kokushoji, na região de Azabu, atual Tóquio, o mestre chinês teria também ensinado truques a três ronin (samurai sem senhor, seja por dispensa desonrosa ou por morte). Estes ronin, Shichiroyemon Fukuno, Yojiyemon Miura e Jirozayemon Isogai, fundaram suas próprias escolas de Jiu Jitsu. Os registros concordam que o mestre chinês transmitiu a eles três técnicas de Chin Na (Atewaza).

sumo
Antiga e expressiva ilustração japonesa mostra lutador de Sumô derrubando adversário

Outra hipótese histórica para o desenvolvimento do Jiu Jitsu credita a Shirobei Akiyama, um médico de Nagasaki, o aprendizado de três truques na China. Algumas escolas de Jiu Jitsu sustentam que a influência chinesa ocorreu como contribuição a uma arte já existente. O fato é que, independente das técnicas (waza em japonês), os princípios doutrinários do estilo se baseiam em um famoso livro de estratégia marcial do chinês Hwang-Shihkon, que era a Bíblia dos samurais japoneses na era feudal. A filosofia do Jiu Jitsu foi ainda profundamente influenciada pelo taoísmo, que pregava a não-resistência e a delicadeza.

As informações sobre a influência da China nas artes do Budo foram pesquisadas principalmente no texto de Sumitomo Arima, “A História do Judô e do Jiu Jitsu” de 1904. O autor foi a terceira pessoa a ingressar na Kodokan.

2a1c8170e8abc75d5e9dde31aa2dda83

 

Quer ajudar o Blog?

Ajude a manter o Zenkungfu ativo e criativo com uma doação. Você pode doar R$ 5, R$ 10, ou o quanto quiser e puder é só clicar no botão abaixo.

btn_donateCC_LG

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s