Choy Lay Fut Vintage: Tat Mau Wong na Kung Fu Magazine em 1994

Nas minhas noites de insônia sempre procuro material sobre choy lay fut, e os praticantes sabem bem como é difícil  encontrar algo na rede. Numa noite dessas achei essa matéria antiga da Kung Fu Magazine. Seu interesse para mim se deve a três razões: é um texto feito no momento em que o estilo estava ainda buscando seu lugar nos EUA, pelo fato de Wong ter sido um aluno dileto do Grão -mestre de minha linhagem – Lee Koon Hung – e pelo foco que ele dá a técnica da varrição, muito pouco utilizada nos combates tradicionais hoje.

 

O Poder do Choy Lay Fut*
*Matéria publicada na primavera de 1994 na Kung Fu Magazine

Por Marian K. Castinado

Link original 

Tradução Ana Calazans

download
Mestres Lee Koon Hung, Kin e Wong em Hong Kong

O princípio chinês do yin e yang enfatiza a força dos opostos. Tat-Mau Wong certamente concordaria. Seu estilo, que combina golpes retos e circulares, duros e suaves, Norte e Sul, prova que as artes marciais chinesas podem ser dinâmicas, variadas e poderosas.

Combinações de combate contínuas

“Muitos estilos enfatizam técnicas lineares, técnicas de mãos curtas ou de mãos longas”, explica Wong, que tem centenas de estudantes em duas escolas localizadas na área da Baía [de São Francisco, Califórnia]. “Embora o sistema choy lay fut use técnicas circulares, ele também usa técnicas lineares e laterais,”

Na verdade, parte da filosofia do choy lay fut  é atacar com uma enxurrada de técnicas, em vez de com apenas um movimento. “Como um carro, você quer passar por cima da pessoa”, explica Wong, adicionando (talvez desnecessariamente após essa analogia) que “o choy lay fut é estilo muito agressivo.”

Wong comenta que “é claro que a melhor situação seria a de derrotar o atacante com uma técnica antes que ele pudesse alcançá-lo, mas isso nem sempre pode ser feito. Com técnicas contínuas, não damos ao adversário a chance de contra-atacar.”

Equilíbrio

Outro aspecto das técnicas de poder do choy lay fut  é o de neutralizar um ataque linear com um  técnica circular, e um ataque circular com uma técnica reta.

“Não é uma regra definida”, diz Wong, “mas na maioria das vezes, sim, nós contra-atacamos um golpe reto com técnicas circulares, e vice-versa.” Embora o choy lay fut tenha se originado no Sul da China, ele combina estilos do Norte e do Sul, criando uma base sólida: socos fortes, chutes e saltos. “Nós não enfatizamos apenas uma área”, diz Wong. “O que faz o choy lay fut diferente é que nós fazemos tudo.”

“Tudo” estende-se ao trabalho externo e interno também. O praticante inicial de choy lay fut enfatiza as técnicas externas, como socos e pontapés. Mais tarde, porém, o praticante faz um monte de trabalho interno, como exercícios respiratórios.

“É por isso que você não pode dizer que o choy lay fut é um estilo mais orientado para o combate”, observa Wong. “As pessoas mais velhas não podem executar a arte de forma tão agressiva como as pessoas mais jovens, mas podem fazer um trabalho mais interno. As pessoas pensam que um artista marcial de 60 ou 80 teria de entrar em rai chi, mas isso não é verdade, porque o choy lay fut possui diferentes aplicações O estilo  é realmente bom para a luta – praticantes em Hong Kong ou na Ásia costumam usar o choy lay fut quando concluem [um golpe] com uma ligação.  O choy lay fut, no entanto,  também é valioso quando se compete em formas, porque o movimentos  circulares são realmente bonitos. ”

Varreduras

Uma das maneiras que o choy lay fut demonstra o poder é através das suas espetaculares – e eficientes – técnicas de varrição. Embora a varredura não seja a parte mais significativa do estilo, há “um monte de técnicas de varrição,” de acordo com Wong. “Normalmente, nós aplicamos a técnica em primeiro lugar, em seguida, nós varremos a pessoa”, diz ele. “Você varre quando você vê a chance.”

Perguntado se as varreduras do choy lay fut são diferentes das dos outros estilos, Wong comenta que “é claro, algumas técnicas são semelhantes, mas temos as nossas varreduras originais também. Praticantes de Judô, por exemplo, costumam entrar com uma técnica de luta, pretendendo derrubar o adversário. O praticante de choy lay fut irá geralmente aplicar outro tipo de técnica em primeiro lugar, para então combinar uma varredura com uma técnica de projeção. ”

“Há duas maneiras de olhar para a varredura”, diz Wong. “O choy lay fut é normalmente uma luta de proximidade. Se você não quer aplicar todas as técnicas impressionantes, então sim, você pode derrubar a pessoa com uma técnica de varredura. Se um oponente entra com um soco direto, o praticante primeiro bloqueia e contra-ataca. Então, quando o espaço se fecha, pode haver a oportunidade de varrer.

“No entanto, se você está um pouco mais longe de seu oponente, você pode notar que ele não está prestando atenção a sua perna da frente, por exemplo. O praticante de choy lay fut pode então nesta distância usar uma varredura circular para levar o oponente para baixo. ”

Técnica Biujong

Um movimento que praticantes de choy lay fut utilizam muito é uma varredura de braço chamada técnica biujong. É geralmente aplicada no rosto do oponente, a mão em forma de punho. Ao mesmo tempo, a perna atinge a parte de trás das pernas do oponente, formando um ataque tesoura que vira o oponente de costas. “Esta técnica é muito poderosa”, comenta Wong. “A partir da posição mais baixa ou da mais alta você pode usá-la para as técnicas de varredura ou de combate em pé. Com esta posição do pé, eu posso facilmente derrubar uma pessoa.”

A técnica biujong é normalmente combinada com um golpe circular. O momento perfeito para varrer com o biujong é quando a pessoa ainda está de pé depois de uma passada.

Varredura de 180 graus

Com a técnica de varredura de 180 graus, a perna de trás do praticante geralmente avança para bater na perna da frente do adversário. A varredura se chama assim porque seu pé segue um padrão semicircular. Você pode atacar com o seu corpo praticamente em linha reta, ou você pode se agachar quando ataca. O melhor alvo é a batata da perna. A varredura de 180 graus é muito parecida com um chute circular, e você pode iniciar o ataque de uma forma semelhante. Se o adversário está pisando com muito peso sobre a perna da frente, esse é o momento de varrer. Sua perna de trás se move muito rápido. Você pode facilmente entrar e varrer, porque não há muita distância a cobrir.

Varredura de 360 graus

A técnica de varredura de 360 ​​graus é semelhante ao chute giratório gancho, e é muito mais difícil do que outras varreduras. Executada a partir de uma posição baixa, ela “engana” o adversário. “Geralmente você está em uma posição de combate, mas quando você vê que o oponente não está prestando atenção para a parte inferior de seu corpo, é a hora de descer para uma posição agachada, colocar as duas mãos no chão e, em seguida, usar a perna para fazer toda a varredura “, diz Wong. “Não é tanto uma posição particular que eles adotam. Enquanto o adversário não está prestando atenção, você tem tempo de sobra para a varredura de 360 ​​graus.”

Varredura frontal com avanço

A varredura para a frente com avanço é relativamente fácil. É executada somente com a mão ou com a mão e a perna simultaneamente. Enquanto a perna do praticante atinge a frente da perna do adversário, a mão entra em ação para pressionar o rosto ou o corpo, empurrando a pessoa para baixo. “Dessa forma, você pode dobrar a força”, explica Wong.

A varredura para trás

A varredura para trás geralmente ataca com a perna, vinda por trás do adversário. “Essa é uma varredura mais complicada, porque a pessoa não pode pegá-lo”, diz Wong.

“O que usar, e como usar, depende apenas do que se apresenta a você no momento”, explica ele. “O choy lay fut é aproximadamente metade técnicas circulares e metade técnicas retas. Se um atacante entra com uma técnica para de avanço direto, eu tento redirecionar a energia para o lado, por exemplo. Diversidade lhe dá poder.”

Conhecimento é poder

Seu desejo de aumentar o conhecimento público sobre o poder das artes marciais chinesas fez Wong se mudar de Hong Kong para os Estados Unidos há dez anos. “Porque as artes marciais chinesas antes dos anos 70 enfatizava uma série de formas, algumas pessoas pensaram que elas eram bonitas, mas nada práticas”, observa ele. “Outros pensavam que os artistas marciais chineses eram todos bandidos.”

Para combater estas imprecisões, Wong patrocinou seus próprios torneios. “Este ano, tivemos 1300 concorrentes de todo o mundo”, diz ele. “Um monte de gente – e até mesmo praticantes de karatê e tae-kwon-do – veio ver as artes marciais chinesas. Na maioria dos torneios abertos você nunca vê as artes marciais chinesas na competição de  sparring. Isto ocorre porque as pessoas pensam que os artistas marciais de estilo chinês não podem lutar. No meu torneio em San Francisco, temos todo o tipo de formas e armas, mas a principal competição é o combate. ”

Wong é rápido em apontar, no entanto, que mais deve ser aprendido. “Meu objetivo é desenvolver todos os aspectos de artes marciais chinesas, não apenas lutando”, diz ele. “As artes marciais chinesas já existem há muito tempo. Eu quero ensinar as pessoas como aplicar a filosofia chinesa de artes marciais.

“As pessoas começaram a ver as artes marciais chinesas de uma forma positiva”, comenta Wong. “Antes, um monte de gente aprendia artes marciais, porque queria lutar. Agora, os pais querem que seus filhos nas artes marciais para a disciplina.”

Na verdade, existem todos os tipos de poder. O choy lay fut tem o poder físico, mas isso é apenas o começo. “Aprender a lutar é fácil.” Wong diz. “Aprender não lutar é que é duro.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s