Jiaomen, o Kung Fu Muçulmano

Para muitos pode parecer estranho que exista um kung fu muçulmano. Mas ele existe e persiste há quase mil anos. E mais: o estilo mais popular do Wushu moderno, com seus movimentos acrobáticos, foi desenvolvido a partir de um dos estilos islamitas, o Chaquan. A etnia Hui, que descende de mercadores e viajantes árabes e persas que chegaram à China via Rota da Seda na época da Dinastia Tang (618-907), criou sistemas e formas célebres como o citado Chaquan, o Baijiquan e o Tan Tui.

cq02

O kung fu Hui floresceu no Norte da China e está intimamente ligado as artes internas do taoismo. O traço comum aos estilos Hui é a conexão entre a técnica marcial e a abordagem ética e filosófica, derivada da mística do Islã. Para os praticantes, o autodesenvolvimento e o cultivo do Chi são parte indissociável da maestria em combate. O kung fu muçulmano é comumente chamado de “Jiaomen”, que significa Boxe da Seita, o que denota seu caráter sagrado para os praticantes. O combate muçulmano se alinha ao ensinamento do profeta Maomé: “O homem forte não é aquele que arremessa as pessoas no combate. O homem forte é aquele que tem o controle de si mesmo quando está com raiva”.

A mística subjacente as artes Hui devem muito ao sufismo, corrente mística do islamismo. Segundo o estudioso Mohammed Khamouch, tal sabedoria está profundamente enraizada no pensamento muçulmano em toda a longa história de irmandades Sufi  que existiram na China. “Há várias grandes ‘tariqah’ (padrões ou caminhos sufi) reverenciadas pelos Hui que tiveram grande influência sobre o aspecto filosófico de suas artes marciais”.

A “Jihad interna” (luta interna) dos mestres do kung fu muçulmano busca vencer o “inimigo interior” e harmonizar a sua energia intrínseca. Essa filosofia influenciou o desenvolvimento do Chi Kung (Qigong), a prática energética do taoismo que tem uma estreita relação com o kung fu (pretendo pesquisar a conexão entre o jiaomen e o neijia mais a fundo) .

Durante a era Tang existiu um guerreiro chamado Alī Ibn Abī Tālib, espadachim que por sua perícia ganhou a alcunha de “Asad Allah” (O Leão de Deus). Durante uma batalha ele derrubou um guerreiro inimigo e levantou sua espada para matá-lo. O homem então repentinamente cuspiu em sua face. Ali susteve a espada. “Por que você me poupou? ”, perguntou o inimigo.  Ali então falou: “Ó Deus benevolente, você fez o bem e a vida sagrados”, e, em seguida, acrescentou:”Só é permitido tirar uma vida em um combate santo, mas quando cuspiu em minha face você despertou a minha ira e meu orgulho por isso em vez de golpeá -lo com uma espada, golpeei a minha paixão para louvar a causa de Deus “. Em seguida Ali deixou o inimigo livre, e este, admirado com a atitude, converteu-se á fé islâmica.

No século XIII, os Hui já estavam estabelecidos no Norte do país, especialmente nas províncias de Henan, Hebei, Shangtung e Shaanxi, e haviam moldado seus próprios estilos de combate por via da absorção das técnicas marciais da região. Ao longo da história a minoria conseguiu um delicado equilíbrio entre a integração cultural e étnica (muitos dos primeiros a chegar  casaram com mulheres chinesas da etnia majoritária Han) e a preservação de sua identidade.

A convivência nem sempre foi pacífica, alternando períodos de conflito com outros de harmonia, como na era Tang e na dinastia mongol Yuan  (1279-1368). Durante esta última, fundada por Kublai Khan, os islamitas gozavam de grande prestígio e eram conhecidos comos “Da’shma” or “Da’shman” (Os Sábios), devido à sua capacidade e contribuição como estadistas, militares, astrónomos, astrólogos, médicos, arquitetos e filósofos. Marco Polo (1254-1324) relatou que haviam mais de 30 altos oficiais muçulmanos na corte de Kublai Khan. Já no período da Dinastia Manchu Ching (1644-1911), os Hui foram perseguidos e quando presos tinham seus rostos tatauados com as palavras  “Hui zui” ( “Hui rebelde”).

FOREIGN201409231627000074090043937

 Estilos Hui

O kung fu Hui inclui formas internas (que foram transmitidas aos mestres por monges taoístas) e estilos ágeis e estáveis. Muitos permaneceram secretos no interior das famílias. Abaixo a descrição de alguns.

HUI HUI SHIBA ZHOU

Hui Hui ShiBa Zhou, Estilo dos Oito Cotovelos, foi considerado por muito tempo perdido. Acreditava-se que não existiam mais mestres e praticantes até que em 1970  pesquisadores encontraram um ancião Ju Kui, em Hebei. Com 84 anos, ele havia treinado 19 estilos diferentes e era mestre de Hui Hui. Era utilizado normalmente em combinação com outros estilos.

QISHIQUAN 

O estilo do Punho dos Sete Guerreiros é originário de Henan e Shanxi e se baseia em sete posturas.

PIGUAQUAN

A tradição diz que o estilo da Palma do Machado foi criado por Wu Zhong, um muçulmano chinês do Village Meng, de Hebei. Conta-se que Wu aprendeu a técnica de monges taoístas no século XVIII. O Piguaquan é popular atualmente. A técnica de braço longo usa habilidades de balanço e corte, muitas das quais foram adaptadas para formas do Wushu moderno.

BAJIQUAN

O Bajiquan (Boxe dos Oito Punhos Extremos)  foi também, segundo a lenda, criado por Wu Zhong a partir dos ensinamentos de monges taoístas. A origem do Baji, assim como a do Piguazhang, está ligada ao movimento de rebelião à Dinastia Qing. Os estilos foram transmitidos a Wu ao mesmo tempo, e podem até ter sido um único sistema. Após a morte de Wu Zhong, sua filha mais velha, Wu Rong, a quem Wu havia transmitido as técnicas, casou-se com um homem da Vila Lou Tang. Talvez para preservar a arte, ela decidiu ensinar o Pigua na vila de seu esposo e  o Baji em sua terra natal, Meng. Bajiquan é um sistema interno, compacto e devastador.

CHAQUAN (ZHAQUAN)

Muito popular, especialmente por sua adaptação no Wushu moderno, o Chaquan, ou Punho Longo, possui muitos movimentos acrobáticos e formas com armas e se caracteriza por intercalar movimentos ágeis com paradas súbitas e posturas estáveis. O sistema foi desenvolvido ao mesmo tempo que o do Templo Shaolin.

HSING-I CHUAN

O Hsing-I Chuan é ao longo da história um dos estilos mais praticados e praticamente restrito aos muçulmanos de Henan. É um estilo eminentemente interno, mas a influência Hui o fez ir perdendo o vínculo com a cosmologia taoista.É um sistema muito antigo, datando provavelmente século XII.Muitas técnicas de combate de lanças do Hsing sobreviveram e ainda são praticadas.

TAN TUI

LEIA AQUI TEXTO SOBRE O TAN TUI

Famoso e utilizado por muitas escolas e estilos como uma forma de condicionamento, o Tan Tui constrói uma base marcial sólida trabalhando a  precisão dos movimentos, a estabilidade, o relaxamento e a cordenação.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s